quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Renault confirma Senna como titular no GP da Bélgica ao lado de Petrov



Após uma semana repleta de rumores sobre Bruno Senna como titular da Renault em Spa-Francorchamps, a escuderia anglo-francesa confirmou que o brasileiro vai correr com o R31 preto e dourado de número 9 no GP da Bélgica, 12ª etapa do Mundial 2011 de F1, no próximo fim de semana. A Renault confirmou a informação em um curto comunicado emitido na tarde desta quarta-feira (24), dois dias antes do início dos treinos livres no circuito belga.

A primeira atividade tendo Bruno como titular da Renault acontecerá fora das pistas. O agora terceiro brasileiro do grid da F1 será um dos pilotos presentes à entrevista coletiva oficial promovida FIA (Federação Internacional de Automobilismo) na quinta-feira.

Foi Eddie Jordan quem levantou a informação sobre a dança de cadeiras na Renault. O ex-dono de equipe, agora na condição de comentarista da emissora britânica BBC, informou na última segunda-feira que Senna assumiria o lugar de Heidfeld no fim de semana em Spa. A notícia não foi confirmada, mas tampouco foi desmentida pela Renault de imediato.

Apenas dois dias depois, quando o time publicou apenas a entrevista prévia de Vitaly Petrov em menção ao GP da Bélgica, é que o nome de Bruno como titular foi confirmado através do site oficial da escuderia.

A Renault será a segunda equipe pela qual Bruno correrá na F1. O brasileiro de 27 anos estreou junto com a Hispania em 2010. No entanto, o time de Murcia atravessou ano complicado, principalmente por problemas financeiros, com o brasileiro ficando de fora do GP da Inglaterra. Senna disputou 18 provas pela escuderia espanhola e conquistou como melhor resultado o 14º lugar no GP da Coreia do Sul.

Sem condições de garantir uma vaga como titular, restou ao sobrinho do tricampeão mundial, Ayrton Senna, abraçar a chance de ser reserva da Renault, considerada a quinta força da F1. O brasileiro compôs a linha de pilotos da escuderia ao lado de Romain Grosjean, Ho-Pin Tung, Fairuz Fauzy e Jan Charouz. Já os titulares eram Robert Kubica e Vitaly Petrov.

Mas o polonês sofreu gravíssimo acidente durante a disputa do Rali Ronde di Andora, nos arredores de Gênova, na Itália, quando seu Skoda Fabia bateu contra o guard-rail, que causou sérias lesões nos membros superiores do lado direito do piloto. Sem ter condições para correr em 2011, o polaco foi substituído por Nick Heidfeld, escolhido por Eric Boullier, chefe de equipe da Renault, por conta de sua experiência, sobretudo em 2011 como test-driver da Pirelli.

O veterano alemão teve bom começo de temporada, assim como a Renault, e garantiu o terceiro lugar no GP da Malásia. Mas desde então, o atual oitavo colocado no Mundial de Pilotos caiu de rendimento, o que suscitou críticas da cúpula do time anglo-francês, até culminar com sua dispensa, pelo menos do GP da Bélgica. Heidfeld já declarou que deverá entrar na justiça contra a Renault pela perda do posto de titular.

Bruno será o segundo brasileiro a disputar uma corrida pela Renault. Antes, Nelsinho Piquet, filho do tricampeão mundial, Nelson Piquet, alinhou no quadro de titulares da escuderia, anteriormente gerida pela própria Renault. O piloto, agora na Truck Series, disputou 28 provas antes de sair da equipe como um dos protagonistas do escândalo do GP de Cingapura de 2008, que culminou com as suspensões de Flavio Briatore e Pat Symonds da categoria.

Fonte: Grande Prêmio

9 comentários:

ALEX disse...

é a ultima esperança de termos um brasileiro para torcer na F1..

ANDRE DE ITU disse...

esse sim vai HONRAR a tradição brasileira na F1... ACELERAAAAAAA BRUNOOOOOOOOO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Daniel Macarenco disse...

Esperança? O cara tem 27 anos e ta começando agora. Sem chance.

Igor * @fizomeu disse...

fica o recado para quem "entrou na onda" da mídia outras vezes, exagerando na esperança e depois se decepcionou com rubens e felipe... BRUNO JAMAIS SERÁ SENNA!!! por maior que seja a torcida, ainda lhe falta experiência e mostrar muito serviço na pista antes de usarmos as palavras "esperança" e "tradição", vamos com calma pessoal!!!

Marcos - Blog da GGOO disse...

São vários fatores dificultadores.
Ele tá começando tarde, vai ter q manter o patrocínio pra se garantir na equipe, vai depender se Kubica volta ou não pra saber se tem futuro na equipe.
Além disso, nessa F-1 totalmente financeira de hoje, é mais difícil um piloto despontar, por mais talento que tenha, pois se está numa equipe mediana pra baixo, é difícil conseguir resultado.
Sem resultado o patrocinador não põe grana, sem grana não vem resultado, sem resultado a equipe, também não consegue patrocínio, e sem grana não consegue resultado, e sem resultado ela vai atrás de grana, e procura quem quer pagar pra correr, e etc etc etc.
De qq forma, torço pro Bruno, principalmente pela pessoa que ele é.
Aguardemos e torçamos!

ANDRE DE ITU disse...

bom é o barrica,né daniel???KKKKKKKKK

Daniel Macarenco disse...

Sim.

ALEX disse...

barrichello nao é ruim nunca foi, mas nao é nem foi bom o suficiente pra ser campeao.. o massa decepcionou muito mais q o barrichello, deixou de ser campeao qdo correu com o bebum do raikkonem, foi escudeiro do schuma e se acovardou diante do alonso..isso pq estava em uma ferrari!! ja o bruno é isso: a ultima esperança! nao quer dizer q vai virar algo, mas esta em uma equipe em q pode mostrar algo, tem uma certa experiencia na F1 e nao deve nada a ninguem, nem tem q se colocar no papel de segundo piloto.. esta tudo na mao dele, agora é ver se o dna ajuda um pouco e torcer!!

Igor * @fizomeu disse...

preferências a parte, HOJE barrichello > massa > bruno