quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ESPECIAL GP BRASIL: GP BRASIL, 1991

Ayrton Senna decidiu que ganharia de qualquer maneira o GP de 1991, naquela oitava tentativa.

Começou fazendo a pole, na sua característica, nos últimos segundos do treino, tendo Alain Prost no mesmo instante dividindo a pista de Interlagos:

Senna partiu na pole position e liderava com sobras até a 65ª das 71 voltas, quando sentiu que a segunda marcha não engatava. Em seguida travaram a terceira e a quarta. Quando abriu a 68ª volta, o boxe mostrou-lhe a placa informando que tinha perdido 3 segundos em três voltas para o Williams-Renault de Riccardo Patrese. Resolveu pisar mais fundo mas sentiu uma pontada nas têmporas quando a quinta marcha também não encaixou. Só restava a sexta velocidade e ainda faltavam três voltas para o fim da corrida. Aí Senna decidiu desprezar as informações do boxe e dos instrumentos do painel e acelerou para o “fosse o que Deus quisesse”. Chegou à frente do FW14 de Riccardo Patrese a insignificantes 2 segundos, mas não viu a bandeirada, porque já chorava na reta final. E depois desabafou: “Foi a vitória mais sofrida. Mas, se era o preço de ganhar em Interlagos, valeu. Foi barato”.

Resultado final
1 - Ayrton Senna - McLaren-Honda
2 - Riccardo Patrese - Williams-Renault
3 - Gerhard Berger - McLaren-Honda
4 - Alain Prost - Ferrari
5 - Nelson Piquet - Benetton-Cosworth
6 - Jean Alesi - Ferrari
Pole-position - Ayrton Senna - McLaren-Honda


3 comentários:

Marcos - Blog da GGOO disse...

Chorei, mas chorei muuuuito nesse dia.
Hoje, me arrependo amargamente de não ter estado lá, enquanto ele corria!

Igor * disse...

CARALHOOOOO...
inesquecível, heróico, FANTÁSTICO GP Brasil 1991!!!
"Hoje, me arrependo amargamente de não ter estado lá, enquanto ele corria"[2]

ANDRE DE ITU disse...

JURO POR DEUS que eu teria pulado aquele alambrado...