terça-feira, 12 de outubro de 2010

ESPECIAL GP BRASIL: GP BRASIL, 1975

Festa em Interlagos, afinal o Emerson tinha sido bi-campeão com a McLaren no ano anterior, as perspectivas eram boas e principalmente com o Pace sua Brabham andando muito. Cuidado “apenas” com as UOP Shadows de Jarrier e Tom Price, afinal as duas corridas anteriores foram dominadas pelo “rato”.

Data 26 de Janeiro, pleno calor de alto verão, uns 30 e poucos graus... O único banho era das mangueiras dos carros de bombeiro. As acomodações eram as mesmas de colunas passadas, barracas, “iskol” e de vez em quando um sanduba de queijo.
Banheiro? As latas de “iskol”, afinal não é só bom bril que tem mil e uma utilidades, a latinha pelo menos tinha duas utilidades e por coincidência os dois conteúdos tinham cor amarela!

Local: junto ao retão, bem no meio da reta, hoje estaria na linha do murro do Berger. Depois dos treinos a ordem era Jarrier; Emerson; Reutmann; Lauda; Regazzoni e Pace em sexto. O Copersucar com Wilsinho largaria em 22º.

Domingo, dia 26, calor de aproximadamente 35º, naquele tempo não se media a temperatura da pista, a largada era aproximadamente as 14:00, no warm up da manhã já se sentia que Jarrier e sua Shadow era a fera a ser batida, melhor tempo e a sensação de estar muito a vontade na pista, era junto a Pace e Lauda os únicos que faziam as curvas 1 e 2 “flap” ou seja não tiravam o pé e entravam no retão à toda aceleração.

Na largada bobeira de Jarrier e Emerson e Reutmann aparecia liderando a corrida, isto durou umas quatro voltas, após isto só deu Jarrier, afinal quando da ultrapassagem do Jarrier pelo argentino festa no retão! Afinal qualquer desvantagem dos hermanos é muito bem vinda. Outras festas a do Pace e depois do Emerson podando o Brabham nº 7.

Tudo indicava que o pódio seria Jarrier, que a cada volta abria mais da Brabham nº 8 e do McLaren nº 1. Então na volta 30 ou 31, a UOP passa com um motor meio que falhando, mas mesmo assim quase 30 segundos a frente do Pace. Mas na volta seguinte, em frente ao retão um carro escuro encosta à direita da pista, festa igual só igual ao das vitórias de Senna ou de Massa ou parecia gol de final de copa.

Nas voltas finais, Pace, Emerson e Lauda fariam o pódio. Festa em Interlagos, afinal foi a primeira dobradinha de brasileiros e ainda mais em Interlagos e na volta final com toda a torcida e na reta oposta (retão atual) o Wilsinho passa uma Lola e chega em 13º!

Invasão de pista, pelo retão, afinal todos queriam ver a Shadow preta e alguns sortudos ainda conseguiram tirar algumas fotos “pilotando” a máquina. A volta foi só de alegria numa Bat-Kombi, afinal pareceria que teríamos não mais um campeão, mas 2. Infelizmente o outro campeão brasileiro demorou mais 7 anos, com o Piquet (pai).

Pace viria falecer dois anos depois em um acidente aéreo com outro bota nacional Marivaldo Fernandez.

Mas isto é outra história e fica para outra vez.


Um comentário:

Igor * disse...

com narração de luciASNO do valle!!!