domingo, 12 de outubro de 2008

O SEMPRE EMOCIONANTE GP DO JAPÃO

Que o GP do Japão prometia, principalmente pela configuração do grid de largada, isso era fato, mas não esperávamos tanto.
Com excessão às decisões da FIA, que anda querendo aparecer mais que os pilotos, a corrida foi de muita emoção, a começar pela primeira curva.

O que não era novidade ou dúvida pra ninguém, realmente aconteceu.
Hamilton após largar mal e perder a ponta para Kimi que, obviamente estava ali para tentar isso mesmo, tentou recupera-la no seu estilo já conhecido, o que desencadeou uma reviravolta, nem tão prevista assim, em toda a corrida.
Afobação, arrojo, imaturidade, habilidade, inexperiência ou estilo próprio? Ou ainda uma mistura bombástica de todas essas qualidades e defeitos? Cada um faz a sua análise, mas é fato que a monotonia da F-1 foi quebrada desde seu ingresso na categoria. Tem sido o homem show das corridas, o "Lewis Mansell" como já comentei aqui em outra oportunidade.


E por conta do seu estilo, fez um esparramo geral na primeira curva, onde prejudicou a sua corrida e dos demais que seguiam imediatamente atrás, beneficiando Kubica e Alonso que pularam para primeira e segunda posições respectivamente. Pela manobra "perigosa", Hamilton foi posteriormente punido pela Fia com o, já tão conhecido de todos, drive-trought.

E sem termos ainda entendido ou enxergado direito o que havia acontecido, antes da segunda curva, David Coulthard experimentou um pouco do seu próprio veneno, quando por conta da confusão inicial, foi atropelado e tirado da corrida por Kazuki Nakajima.

A corrida seguiu e, por obra do destino, Massa a frente de Hamilton.
Os dois candidatos diretos ao título, ali, ou melhor, lá atrás, juntinhos, com a corrida prejudicada e cada um sabendo que deveria andar mais que o outro.
E quando mal nos recuperavamos das emoções da primeira volta, eis que na segunda a adrenalina volta com força total, quando Hamilton, que virava melhor, pressionava nosso brazuca que deu uma escapada na chicane e permitiu a (parcial) ultrapassagem, mas na tentativa de recuperação, põe duas rodas na grama e provoca o toque que deixou o inglês na contra mão.

Massa passou, o restante do grid também. Mas a Fia não passou em branco. Entrando em ação novamente, penaliza Massa com a passagem pelos boxes.
E a grande expectativa da corrida foi esperar o que fariam Massa e Hamilton, já que dessa forma, ambos no final do grid não marcavam pontos e Hamilton seria o grande beneficiado pois manteria a diferença com uma corrida a menos para Massa tentar a reação.
A diferença para a zona de pontuação era grande, seria necessário uma corrida espetacular de ambos para superarem o revés que sofreram.
Uma das grandes esperanças dos brasileiros, além de uma boa recuperação de Massa, era que os pit stops não nos proporcionassem alguma surpresa ruim, o que graças a Deus, não ocorreu.
O pirulito convencional foi reutilizado no lugar do eletrônico e tudo ocorreu dentro da normalidade esperada.

E Massa mais uma vez correspondeu na pista, fez um set final de corrida de arrepiar, diminuindo distâncias que aparentemente pareciam impossíveis dos competidores à sua frente, chegando a descontar 2 segundos por volta. E pilotando espetacularmente alcançou a zona de pontuação, colando no oitavo colocado, naquele momento, Mark Webber. Mas ainda faltava passar. E já na primeira tentativa, me fez chutar o teclado do computador, quando dividiu com ele um espaço que não existia no final da reta dos boxes (ainda bem que aquela mureta acabou logo) e terminando assim a corrida com o tão valioso ponto naquela altura dos acontecimentos. Mas levou dois, uma vez que após a corrida, a Fia (ela de novo) decidiu punir Sebastien Bourdais que após sair dos boxes fazia a primeira curva e se chocou com o próprio Massa que tentava a ultrapassagem.

E o grande nome da corrida foi o "príncipe das Astúrias" Fernando Alonso, que mais uma vez, aliando uma excelente estratégia, competência de campeão e uma boa dose de sorte, levou o caneco pela segunda vez consecutiva nesta temporada.



Méritos (além dos agradecimentos especiais a Hamilton) também para a Renault que conseguiu uma reação inesperada por conta de uma evolução surpreendente de seus carros no decorrer da temporada.
Se ninguém, nem os mais fanáticos dos "Renaultzistas" ou "Alonsistas" apostariam numa vitória este ano em virtude do que apresentava a equipe até o meio da temporada , o que dizer de duas seguidas?
Nem no melhor dos sonhos!!
Chegando em quarto, Nelsinho também se aproveitou da reviravolta inicial e fez uma boa corrida, chegando até a encostar em Kimi Raikkonen após sua ultima parada e nos deixando em grande expectativa de um duelo entre os dois pelo terceiro lugar, mas infelizmente ficou só na expectativa.
E esse foi o inesperado pódio do Japão, que teve além de Alonso no degrau mais alto, também Robert Kubica, que após brigar bastante com sua BMW que tanto surpreendeu no começo do ano e que caiu muito de produção, ainda conseguiu se sustentar em segundo, freando o ímpeto do atual campeão Kimi Raikkonen, que voltou melhor da última parada e pressionou muito, porém decepcionou mais uma vez, não conseguindo superar a fraca(?) BMW do polonês, tendo que se contentar com o terceiro lugar.
.
Mas não escrevi tudo isso só pra fazer um resumão da corrida, e sim pra ressaltar algumas coisas que me chamaram muito a atenção nesta etapa:
.
- Massa, que mostrou que está muito afim, está decidido em tirar em essa diferença e buscar o título, tá focado no caneco, dividiu a curva com Hamilton, tocou roda mesmo, andou como gente grande no final e conseguiu beliscar dois importantíssimos pontos. Como já disse Galvão Bueno no GP da China ano passado após aquela excepcional disputa com Kubica na última volta, "é isso que se espera de um piloto da Ferrari";
Foi punido.....paciência, ele não tem outra opção agora, não pode mais correr só pra somar pontos, é arriscar ou arriscar;
.
-Hamilton, que parece não ter aprendido com os erros do ano passado e insiste em dizer que não consegue pilotar de outra forma. Ele que teria que correr pelos pontos, mais uma vez jogou uma grande oportunidade fora. Se eu fosse inglês, estaria preocupado, mas como estou torcendo para o nosso brazuca, estou na realidade adorando. Além do fator show que ele proporciona;
.
Alonso, que está de volta na sua velha e boa forma, pilotando como o campeão que foi, ainda não contando com um dos melhores carros do grid, mas sabendo se aproveitar das evoluções do carro e de toda e qualquer oportunidade que os adversários lhe dão nas corridas;
.
E a toda poderosa Fia, que não quer mesmo que os bons tempos voltem, não quer que os pilotos arrisquem mais, ultrapassem, toquem rodas, que emocionem o público, ou seja, querem apenas "carrinhos de autorama" nas pistas.
Deixem os pilotos correrem, ultrapassarem, arriscarem, tocarem rodas, nos emocionar!!
É isso que queremos ver!!!
.
DEIXEM OS PILOTOS PILOTAREM PELO AMOR DE DEUS!!!
.
Abraço a todos.
.
fotos: globoesporte.com

3 comentários:

- IGOR! - disse...

putz... se eu soubesse que iria ler uma descrição tão detalhada da corrida tinha ido dormir mais cedo, rsrs... boa marcão!!!

Augusto Roque disse...

Excelente Marcão!

Parodiando o jingle da campanha presidencial: "Deixa os pilotos pilotarem, Deixa os pilotos disputarem, Deixa os pilotos se baterem..."

Que saco isso, malas!

Cin disse...

Inspiracao hein... Essas longas madrugadas digitando... hummmm o que sera que anda inspirando nosso presidente hein???

Concordo com o Igor... se eu soubesse que ia ler tudo isso aqui... tinha dormido ate mais tarde!!!

Bjkas