sexta-feira, 28 de março de 2008

COLUNA DO ROQUE: VÍTIMAS DO SISTEMA

Durante a última corrida, o narrador oficial da Formula 1, no Brasil, bradava a todos os ventos sobre uma possível preferência da Ferrari à Kimi Raikkonen. O povo brasileiro que acompanha mais atentamente viu que não foi bem isso o que aconteceu.

Pela diferença de combustível entre uma volta e outra chega-se a esta diferença, que no fundo, no fundo foi de apenas 0,4s. Assim, como no GP da França e Brasil de 2007, Raikkonen se aproveitou e, com uma estratégia a lá Schumacher, pisou fundo e fez tempos de voltas suficientes para sair da frente de seu companheiro de equipe.

Mas todos irão reclamar, não é possível que a Ferrari repita as mesmas atitudes que fazia com Rubens Barrichello, talvez o piloto brasileiro mais injustiçado da história do automobilismo. É preciso ter calma e analisar cuidadosamente, será que a culpa é do piloto ou da equipe.

Muitos se esquecem que diversas vezes, Rubens Barrichello, se não tinha carro, ou se não se motivava a disputar a primeira posição, levava o carro até o final, fazendo um segundo e um terceiro lugar, quando desse. Com Felipe Massa não, as inconstâncias ficaram ainda mais presentes com o fim do Controle de Tração, cabe muito bem o apelido Win or Wall (Vitória ou Muro).

Assumir que errou, atitudes dignas de vencedores, passa a margem deste piloto. É mais fácil colocar a culpa do sistema, que manipula os resultados, pit-stops, etc.

Essa é a geração de pilotos que estão aí defendendo o Brasil...a mais um ano sem títulos mundiais.

2 comentários:

Loucos por F-1 disse...

Realmente não se pode culpar a equipe pelo resultado. Ele errou e pronto, agora é levantar a cabeça e dar a volta por cima.

Abraços!

Leandro Montianele

Marcos 5-3-3 disse...

Humildade faz parte do carater, errou, assume e pronto, fica mais bonito.