quarta-feira, 12 de maio de 2010

DANIEL MACARENCO: O COMEÇO DE TUDO

Foram apenas 2 horas de sono, isso porque a ansiedade era enorme, algo que só podia ser comparado ao primeiro beijo ou ao primeiro carro. O frio da cidade só seria pior que o frio do ônibus, ar condicionado gelado, mas nada estragaria esse dia.

A chegada a São Paulo foi tranqüila apesar do trânsito, então fui com meu irmão sem ser de sangue para Interlagos. Vi o pessoal a pé, e nós entrando de carro, que luxo! Pude ver pela primeira vez a parte de trás dos boxes, algo que até então eu considerava como uma lenda. Mostrar o crachá de imprensa para o segurança foi demais, ver a mesa farta de comida foi um indício de que tudo seria perfeito. E foi. Coletivas, fotos, conversas. Tudo muito bom.

Não posso dizer que esse foi o dia que mais me marcou em Interlagos. Mas posso dizer que foi um dos que mais marcou. Com certeza ali começou a minha estrada para ser um jornalista, algo que nunca foi um grande sonho, mas que nos últimos tempos virou a minha principal meta. Valeu irmão, valeu Roque!

2 comentários:

Igor * disse...

conhecer os bastidores de interlagos é mesmo demais... a primeira vez ao pisar nos boxes e assistir uma largada grudado no muro arrepia!!!

A. ROQUE disse...

Dias assim são inesquecíveis. E que dias como estes inspirem ainda mais as metas que temos.

Obrigado pelas palavras e o carinho de sempre, Stik.