quarta-feira, 28 de abril de 2010

QUE CAMPEONATO É ESSE?*

* Por Felipe Motta

Infelizmente, após tanta expectativa pelo grid galático que temos nesta temporada, o GP do Bahrein foi apático e gerou desconforto em fãs e membros dos times. Porém, após 3 corrida espetaculares, o interesse está garantido até o fim.

Mais do que lindas disputas na pista, em 2010 encontramos uma variedade incrível de pilotos na luta por vitórias e pódios. Com isso, temos uma matemática fascinante após 4 etapas.

Do primeiro ao sétimo a diferença é pequena e o oitavo, Mark Webber, também não se encontra distante.

Além do talento individual dos pilotos, observamos este ano uma situação praticamente única em relação aos Construtores. O equilíbrio é grande e são muitos os times excelentes/bons.

Vejamos: a luta por vitórias conta com quatro grandes forças – Red Bull, Ferrari, McLaren e Mercedes. Poucas vezes tivemos 8 pilotos com possibilidades reais de vitórias.

Mais: o bloco intermediário é muito sólido – Renault (na luta com Kubica), Force India, Williams, Sauber e Toro Rosso apresentam performances boas. Pense que Rubens Barrichello leva 1 segundo dos líderes, algo nada humilhante, e isso o deixa fora dos TOP TEN.

Não me recordo na F-1 de um ano em que houvesse um forte e volumoso grupo de carros mais rápidos e ainda assim a diferença não fosse monstruosa para os demais.

Nas últimas temporadas sempre tínhamos equipes saco de pancadas: Midland, Spyker, Minardi, Toro Rosso, Jordan… Este ano, exceção às novatas, e nada mais natural que levassem pau no primeiro ano, todos os demais times são trabalhadores e contam com alguma performance.

Sobre pilotos observamos inúmeras possibilidades. Até os menos badalados no conceito geral, Button, Massa, Rosberg, mostraram força logo no início. E estão no páreo.

Button: o inglês foi o único a vencer duas vezes. Menos “showman” que o companheiro, mostrou eficiência. Seu estilo de pilotagem suave encaixou-se com a nova cara da F-1, sem reabastecimento.

Rosberg: as dúvidas sobre seu verdadeiro potencial começam a ser respondidas. Mais do que bater Schumacher, está brigando com os demais com personalidade.

Alonso: chegou na Ferrari e adaptou-se imediatamente. Faltou-lhe a sorte em duas corridas e cometeu erro grosseiro em outra. Ainda assim, está próximo aos líderes e é boa aposta para vencer Mundial.

Hamilton: deu show em 3 provas, mas ainda assim está atrás do companheiro em pontos, o que realmente importa. Se conseguir largar em melhores posições, pode vencer. Ao contrário do companheiro, desgasta demais seus pneus e isso o prejudica no fim das provas.

Vettel: Tem o carro mais rápido nas mãos, mas ainda não é o mais confiável. Poderia estar disparado na frente, mas perdeu a chance e isso pode custar-lhe caro no fim do ano.

Massa: obteve bons resultados em corridas onde tradicionalmente falhava. Surpreendeu ao assumir a ponta do Mundial tão rapidamente, o que prova que está recuperado do acidente na Hungria. Seu ritmo ainda não é ideial, especialmente em treinos de classificação. Tem 3 corridas favoráveis pela frente.

Kubica: um show nas primeiras provas. Regular, sem erros e eficiente. Tem uma Renault que surpreende e tira tudo que o carro permite. Título será uma grande surpresa, mas deve somar bons pontos em todos os GPs.

Webber: não é da altura do companheiro. Tende, aos poucos, a ficar como escudeiro de Vettel.

Destes 8 pilotos, e mais algum se quiserem, quem está bem na disputa do título (podem citar mais de um)?

3 comentários:

Dr. Roque disse...

Acho que estou vendo outro campeonato...

Marcos - Blog da GGOO disse...

Vamos aguardar uma sequência de corridas sem chuva pra ver se continua toda essa "emoção" no campeonato.

Rodrigo Lopes - O Moconauta disse...

Concordo com as corridas sem chuva. Só teve uma em condições normais. A conferir.