quinta-feira, 26 de março de 2009

No Caminho...para Melbourne, Austrália

Dentro de algumas horas voltaremos ao repleto cenário de emoções e conquistas da Fórmula 1 em 2009. A visão panorâmica das cidades, do circuito, atrativos culturais e aquela informação básica do circuito estará presente nesta coluna. Que venha Melbourne!





Há tantas milhas de distância, na terra do fogo, do povo aborígine e de outras tantas denominações bem no Estado de Victoria, no circuito de Alberte Park teremos início a esta temporada de 2009 da F1.


Atrações à parte no circuito, reúnem áreas multiculturais, um mega complexo de evento esportivo. Em fim, tudo que um apaixonado por automobilismo gostaria de encontrar em um só lugar. Sprinte Car V8, Australian Grand Prix Super Car, First Twilight Grand Prix, Boll Grand Prix, sem falar nos show previstos: Overdrive Grand Prix Friday, The who! Live Concert, Snick sound System para a galera mais jovem e outras atrações por lá..um dia vamos fazer isto em Interlagos, há se vamos!. Melbourne se apresenta em grande estilo para iniciar a temporada, enfeitada, com turistas (sua maior parte Européia, Americanos e Asiáticos) dispostos a conhecer melhor esta cidade.



Segunda maior cidade do país, Melbourne oferece o seu misto de bem estar, o prazer em conhecê-la, Museus como: da Imigração (Localizado no coração da cidade) que conta a origem do povoamento da Cidade. Centro Cultural Victorian, nada se compara também a beleza com o Opera House em termos de arquitetura, porém é o “point” cultural de Melbourne onde podem ser vistas performances de balé, opera e orquestras sinfônicas.
Fugindo um pouco para o litoral, temos Melbourne Aquarium, seres marinhos e toda fauna da região australiana. Visitar Melbourne requer uma logística apurada, então nada melhor que o sistema de transporte..visite, no endereço http://www.metlinkmelbourne.com.au/.


Amantes das explorações em terras desconhecidas, vale as inúmeras histórias do "Crocodilo Dundee", contado por Micke Dundee (Paul Hogan) como: Quando os exploradores europeus viram estes estranhos animais saltitantes pela primeira vez, perguntaram a um nativo australiano (aborígine) como eles se chamavam. Os aborígenes por não entender o idioma inglês, diziam apenas "kangaroo, kangaroo, kangaroo", que na linguagem aborígene significa "não entendo, não compreendo". Os exploradores pensaram então que esse era o nome do animal, e assim o canguru ganhou o seu nome. Sem falar na invensão do "boomerang"por parte deles. Sem falar nas inúmeras histórias com o "Demônio da Tasmânia"..um pouco de desenho animado ajuda a memória...Tá afim de dirijir, siga de carro de Melbourne a Adelaide pela costa, muitas e belas imagens não caberão na sua câmera. Lembre-se: ao Norte da Austrália, é comum o trânsito de "Roadtrain" (Caminhão com duas ou três carretas conectadas) com comprimentos que variam de 36 a 50 metros. Daí a história dos Bi-trens que rodam por aí a fora.

Na Agricultura, o Brasil tem destaque na exportação de alimentos e grãos. Um páis com grandes áreas desérticas dificulta qualquer tipo de grande produção.

Receptividade, não espere as melhores, boa parte da população enfrenta conflitos étnicos como a quase extinção dos decendentes dos Aborígenes (tribo indígena), Europeus e latinos não são bem vistos. Uma preocupação constante para aqueles que chegam para estudar ou trabalhar neste País.


No melhor passo para o esporte, conhecemos Australian Open: Um dos torneios de tenis que fazem parte do Gran Slan. Mebourne Cup Day: corrida de cavalo, e a Melbourne Cup para a cidade pois é até feriado neste dia em Melbourne especialmente instituído para a corrida de cavalo. Dizem por lá!

Chegamos então ao circuito de Albert Park, é o misto de Park da Cidade e ruas em torno da marina (construída artificialmente como o nosso Lago Paranoá e Pampulha). Os ventos interferem no resultado da corrida: sujeiras, curvas fechadas com pouco raio, aceleração e desaceleração súbita, faz com que tenhamos poucos pontos de ultrapassagens..assim, problemas de aquecimento e freios quase sempre vai tirando os favoritos da prova. Houve épocas, e saudosas, de grandes lembranças e agradaveis para os brasileiros do circuito de Adelayde..mais aí, já é, outra história.

Kimi levou o caneco em 2007, Alonso beliscou em 2006, mais acreditem.. Fisichella agarrou o caneco de 2005, mais não esquecendo do queixudo alemão - faturou quatro canecos. E para 2009, quem leva o caneco? Em 2008, Hamilton beijou o caneco todo sorridente com tempo de 1:26:7.. na pole, e o kimi poeirou com a melhor volta em 1:27:4..Neste ano, mudam-se os equipamentos..se espera..igualdade e muita, mais muita emoção.


Então Senhoras e Senhores, preparem-se, ouçam o ronco dos motores nesta temporada.


Venha curtir esta emoção com a GGOO!!!

5 comentários:

A. ROQUE disse...

Simplismente espetacular, Rodrigo!

Parabéns! Ótima coluna!

- IGOR! - disse...

show de bola essa nova coluna...
do RJ para o mundo, parabéns cabral!!!

Pinga Fogo disse...

Fantástico, muito bom mesmo.
A estória do canguru eu já tinho lido, achei interessantíssimo.
Parabéns ao autor do tópico pela matéria.

Marcos - Blog da GGOO disse...

Ae Rodrigão, voltando em grande estilo.
Sensacional, parabéns mesmo!!

A estória do canguru eu já tinho lido, achei interessantíssimo. [2]

Rodrigo Cabral disse...

E não é que a volta mais rápida foi no mesmo tempo..

.veja: 1:27..
Nico Rosberg lá na volta 48 com sua williams.