quinta-feira, 11 de junho de 2009

RUBENS BARRICHELLO

Por conta de toda a discussão que está se formando em torno de Rubens Barrichello na nossa comunidade no orkut e na mídia em geral, resolvi fazer um desabafo.

Eu que sempre acompanhei a sua trajetória, que lembro de episódios marcantes de sua carreira como em 1992, em uma corrida de F-3 em Interlagos, largar em último e ultrapassar Oswaldo Negri Jr. na curva dos boxes, da última volta e vencer a corrida. Rubens Barrichello aquele que, após Ayrton Senna, me fez parar de frente á TV para ver corridas.

Inúmeras vezes discutia sua qualidade, engolia seco as brincadeiras que lhe faziam a sua revalia, que chegava a debater asperamente que Rubens era melhor do que Schumacher, que de ia para Interlagos ver a F-1 e em especial, Barrichello, cujo o qual tenho guardado comigo uma das grandes lembranças, o GP Brasil de 1999, a primeira vez que vi, literalmente, Interlagos tremer a cada volta de Rubinho, então na Stewart, liderando a corrida.

Mas tudo isso é passado e, derrepente, de desacreditado, passou a ser um dos candidatos ao título da F-1. As emoções voltaram a tona, a expectativa para que, enfim, conseguisse o título, aumentou. Não se falava outra coisa, o Brasil era Barrichello.

Massa, apesar da emocionante disputa do título em Interlagos, foi renegado a um segundo ou até a um terceiro plano. Só se falava (e se fala) de Barrichello.

A temporada começa, e com ela sucessivas vitórias de Jenson Button, um piloto qualificado pela maioria como mediano. Barrichello não consegue bons desempenhos e, apesar de estar em segundo no campeonato, frustra a todos.

Os velhos críticos voltaram à cena, com muito mais acidez. Os apaixonados, começam a se decepcionar. Por que? é o que todos perguntam.

As desculpas já não colam mais. Ganhar a partir de agora, talvez.

Mas, por mais críticas que se façam, todas elas com certo grau de razão, lembro que o povo brasileiro tem memória curta: Massa, no ano passado, também estava em segundo e reclamava dos erros da equipe ou sentia algo entranho na traseira do carro. No fim, todos estavamos lá em Interlagos torcendo por ele.

O azar (palavrinha que o acompanha) de Barrichello foi ter o seu companheiro de equipe como líder, o que dificilmente fará uma equipe mudar o foco durante a temporada.

Continuo achando que Barrichello é melhor do que Button e mais, muito melhor do que Felipe Massa. O título deste ano, não virá, talvez nunca mais venha, mas ele faz o seu papel e não é somente ser o nº 2 (como a maioria, ignorante, acredita).

No fim, a conclusão que chego é que todos (sem exceção) adoram e se identificam muito com Rubens a ponto de transformar isso em críticas, exacerbadas até.

4 comentários:

- IGOR! - disse...

depois de anos e anos "tomando porrada" por defendê-lo continuo fã do rubinho...

mas como escrevi na comu, estou (muito) decepcionado com seu desempenho nessa temporada, vou ficar quieto dessa vez!!!

wesley.da.raca disse...

roque acho que esse comentario não foi muito feliz não..sou brasileiro acima de tudo ,sempre torci pelo barrica e todos brazucas..mais acho que esse comentario seu foi muito pessoal ..vc não pde fugir dos fatos ..e outra si o massa é melhor que o button pq não anda na frente ..e si seu papel não foi ser só o 2 piloto foi oq entaum ..

Marcos - Blog da GGOO disse...

Ainda acho que o maior problema do Barrica são seus discursos efusivos acerca da expectativa do que ainda pode fazer, do que pode ganhar, da sua esperança e confiança em ainda ser campeão e a cada tropeço achar uma justificativa que o isente de qualquer culpa pelo mal desempenho.
Acho que ele tenta a todo custo manter a torcida a seu favor com isso, mas não está dando certo, e pior, está surtindo efeito contrário.
Mas independente disso, apesar de às vezes até entrar nas brincadeiras e zombar dele também, não vou junto com a massa que tem a cultura de só valorizar quem ganha, quem é campeão.
O Rubinho tem seus méritos, teve uma carreira ilibada na F-1, um piloto carismático e querido por todos do circo, leal e limpo nas disputas com seus adversários dentro da pista.
Nunca foi campeão, não tem o perfil aguerrido de um Massa, Senna. Ok!
Mas não vou desmerece-lo por isso.
Na realidade, o que está de verdade acontecendo, é que o jejum de títulos brasileiros na F-1 está deixando todos pirados, pq ficamos mal acostumados com um tal de Senna...
Precisamos (e buscamos) urgentemente alguém que se assemelhe aos nossos antigos campeões e que possamos depositar nossa torcida. E qualquer outro que esboçar a possibilidade de ganhar um título (que foi o que aconteceu esse ano), será imediatamente louvado por nós, e se falhar, será impiedosamente excomungado, também por nós.
A qualidade técnica e todo seu trabalho feito, vai ficar em segundo plano.

Mãããããssss....isso tudo é apenas a minha singela e humilde opinião.

(e não esqueçam: M.M.M.!!)

Rodrigo Lopes - O Moconauta disse...

Ainda acho que isso se deve ao trauma Pós-Senna...

E mais ainda pelo fato do Rubinho ter feito milagres na época de Stewart...

A verdade é q depois do Senna, o único ídolo que tivemos verdadeiramente foi o Guga... ou seja, o povo brasileiro que é apaixonado por automobilismo, está carente de um título... e principalmente... de um herói que quebre protocolos, seja autêntico, não tenha medo das consequencias por manter o seu ideal e principalmente tenha orgulho do seu país...

Mããããããs (repetindo o presidente)... é só minha humilde opinião...