sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

COLUNA DO ROQUE: FIM DE FESTA

Acabou a festa. Acabou a brincadeira. O anúncio de que a Honda deixa a Fórmula 1 em prol do seu core business, sob a rubrica da crise financeira global que aflinge o mundo, nos leva a repensar o atual estágio do mundo.

Que as montadoras só visam o lucro isso é mais do que certo, porém em uma atividade como a Fórmula 1, mais do que só o lucro deve ser colocado no cerne da questão. A paixão pela marca e pelos pilotos de uma determinada equipe são a força motriz das competições, gerando discussões e levando público para as arquibancadas.

Publico que se anima a cada volta e faz das tripas coração para poder ver uma corrida "in loco" e se diverte com as brincadeiras e provocações daqueles que tem opiniões diferentes das suas. Agora a festa acabou e com ela parte da alegria deste público que assite corridas.

Passou da hora de se repensar a Fórmula 1 como instrumento de marketing. Não é possível ficar na dependência só de montadoras, elas deveriam ser o elo de ligação entre os garagistas, fornecendo motores e tecnologia de construção para estes loucos apaixonados e não sendo a peça principal deste quebra cabeça.

Um solução imediata poderia ser a permição da venda de chassis e motores para demais interessados, isso baratearia os custos da categoria e voltaríamos a ter verdadeiros apaixonados por corridas e automóveis na direção de diversas equipes.

Para quem chegou a ver pré-qualificação às sextas feiras e vibrava a cada vez que alguns carros obscuros passavam, a situação atual é vergonhosa e vexatória. A água chegou e mais do que rápido é preciso se levantar e tomar uma atitude.

Depois da Honda, a Toyota pode sair, a Toro Rosso também e a Renault já ameaçou sair várias vezes. Com quantos carros a F-1 ficará? 4? 8?

Junto com esta triste estória, parece que a carreira de Barrichello se encerra de forma melancólica e a de Bruno Senna nem começará.

Que fim de festa, hein?

3 comentários:

Loucos por F-1 disse...

É um fim de ano complicado para a Fórmula 1 e para o mundo. Algo tem que ser feito para que o poder das montadoras diminuem.

Será o triste fim de Barrichello e o não início de Bruno Senna? Um pena!

Abraços!

Leandro Montianele

Marcos - Blog da GGOO disse...

É...daqueles fim de festa que deixa o cara com uma ressaca que demoooooora a passar.....

- IGOR! - disse...

alguém tem um engov ae???