sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

COLUNA DO ROQUE: COMO SE FOSSE A PRIMEIRA VEZ DE SENNA NO MOLHADO!

Eram 12:30h, o telefone toca. Do outro lado da linha o Rodrigo Moconauta com um convite imperdível. Quer andar de Kart? Na Granja Viana eles estão fazendo uma promoção relâmpago. Fui consultar a agenda. O horário era compatível. Não tinha como perder. Correr na Granja, com os amigos não tem preço...e o melhor, no melhor dos traçados para uma bela disputa.

A única preocupação era a chuva. Nesta época do verão, calor, parece que estamos no Amazonas. Ou saímos antes da chuva ou saímos depois. E para nossa preocupação o horário coincidia bem com o que costumeiramente começava a chuva forte, aquela de verão.

Mas lá, corre-se na chuva. Mesmo sendo outdoor. Corre-se no molhado, mas com pneu de pista seca. Tudo bem, pensei eu. Vou torcer para não chover.

No dia, após uma consulta médica passei em casa e peguei os apetrechos e quinquilharias para levar, sem esquecer do manto sagrado. Era com ele que iríamos ser reconhecidos na pista. E de casa, parti rumo a Cotia, onde fica o Kartódromo. Estrada cheia, caminhões, transito. Muito transito. E, quase chegando, chuva. Muita chuva.

O que eu temia, aconteceu. Iámos correr sob chuva. Algo que nunca tinha feito.

Chegando lá, mais chuva. Que, com o tempo, foi diminuindo até chegar todo mundo. Entre pegar todo o equipamento, se preparar, se vestir e ir para a pista a chuva já havia parado, mas a pista continuava muito molhada, com pontos que formavam uma espécie de rio, tamanha a quantidade de água acumulada.

A ansiedade tomava conta de mim. O frio da barriga aumentou quando fomos escolher os respectivos Karts. Fiquei com o nº 19. Capa nos bancos molhados posta. Ajeita de um lado, se espreme de outro, testa distnacia da perna no pedal. Perfeito.

Ligam-se os motores. Vai começar o treino.

Como de costume, todos sairam cautelosos. Ao fazer a primeira curva, a primeira rodada. Um susto ver todos tentando passar por você e você de frente para alguns Karts. Todos passaram quase ilesos. Algumas batidas depois, sem o motor morrer, volto a pista. Vou fazer uma curva à direita, o carro não vira, derrapa, vai pra lá da zebra, no cimento esburacado. Volto olhando para trás, assustado.

As próximas curvas feitas totalmente com o pé lá no alto, tentando manter o kart na pista. Era impossível. Na curva do rio, mais uma rodada e um rally pela grama. No S de alta, o Kart ia de lado e não dava para fazer muita coisa sem ser diminuir a velocidade, na entrada da reta, era divertido entrar com o Kart de lado, escorregando, tentando tracionar. No final da reta a freada tinha que ser feita 40 metros antes do normal, senão era rodada na certa. Foram 7 minutos tentando entender o que se passava e como andar naquela pista. Foram minutos de diversão.

Olho meu tempo, 7º tempo. Muito bom, para quem nunca andara assim.

O grid foi posicionado um pouco mais pra frente do que o comum, por conta da pista molhada. Na primeira curva um salseiro. Passei uns 3. Logo depois do S de baixa, foi a minha vez de atropelar uns dois. Estava em quinto. Nas curvas de baixa, mais molhadas, uma rodada. Voltei a ficar em sétimo.

Com o tempo a pista foi secando. O S de alta era feito de pé embaixo, fui ganhando confiança. Os tempos de volta baixavam a cada segundo. Após mais uma rodada, vou para o oitavo lugar. Porém logo na frente o sétimo. Começa a perseguição. 3 voltas na alça de mira. Porém, na empolgação, mais uma rodada. Não dava mais. O jeito foi acelerar, acelerar e acelerar. Na última volta, com a pista mais seca, fiz minha melhor volta. 20 segundos melhor do que a primeira volta. Uma bela diferença para apenas 1km de pista.

No final, valeu a experiência.

Sai de lá me sentindo o próprio Senna quando deu suas primeiras voltas de Kart na chuva. Pena que falta tempo e dinheiro para brincar mais vezes de ser piloto.

3 comentários:

Marcos - Blog da GGOO disse...

Essa experiência no molhado (infelizmente) ainda não tenho.
Mas deve ser emocionante e, profissionalmente falando, uma condição onde se separam os homens do meninos...

Igor * disse...

mais uma bela história... uma situação de se molhar as calças (literalmente), deve ser complicado mesmo!!!

Walter disse...

Ae Roque!

Muito legal aquela tarde, coloca a foto no post -> http://jr.locaweb.com.br/roque_granja_viana.jpg

Abraços