domingo, 3 de abril de 2011

MAIS UMA MORTE, "PARABÉNS" *

"Parabéns" à Vicar, empresa (ir)responsável pela Stock Car e suas subcategorias, ninguém mata no automobilismo como vocês!

"Parabéns" também à todos os (ir)responsáveis pelo Autódromo de Interlagos, mais uma morte na curva do café, quando farão algo naquele ponto?

"Parabéns" finalmente à CBA, que nada faz, nada cobra em termos de segurança dos "carros" e "pistas" desse país, entidade totalmente inútil!

Eu estava presente na arquibancada de Interlagos em 2007 quando Rafael Sperafico morreu no mesmo local, em situação semelhante, guiando o mesmo equipamento (não chamarei mais essas gaiolas da Stock de "carros") e foi triste ver hoje ao vivo (mas dessa vez pela TV) que nada mudou. 

A mesma cena, a mesma ineficácia de segurança no local do acidente, o mesmo atendimento confuso e obscuro ao piloto, os mesmos "cacos" do equipamento destruído como se fosse feito de papel, a mesma bandeira vermelha na pista, o mesmo silêncio, a mesma triste notícia que era evidente na hora do acidente, mas que só se confirmou horas depois.

O mais triste é a certeza que não será a última vez dessa tristeza, porque nada efetivamente será feito pelos (ir)responsáveis para evitar uma nova trágica repetição desse enredo. Nada!

Fico na torcida para que eu esteja totalmente errado e que sua morte realmente não tenha sido em vão, Gustavo Sondermann!

* Esse texto reflete apenas a opnião de seu autor e não necessariamente de todos os colaboradores deste Blog.

5 comentários:

Pioio disse...

Parabéns Igor post ta perfeito...é bem isso

Marcos - Blog da GGOO disse...

Pode ter certeza, Igor, que este colaborador partilha da mesma opinião, e pq não dizer revolta, qua a sua.
E a pergunta fica: até quando?
Será que é só quando morre alguém na F-1 que tomam alguma providência?
Ou será que são só os países e entidades automobilísticas sérias e responsáveis que se empenham e se mobilizam?
Na realidade, é algo difícil de dizer, pq até mesmo na F-1, vemos que se tenta a todo custo manter a prática de "o espetáculo não pode parar"!
Mas agora, de quem é a culpa? Essa pergunta é básica em padrão após acidentes e desastres que ceifam vidas.
É da pista, que tem curvas perigosas?
Do carro, que não oferece segurança adequada?
Da direção de prova, que permitiu que a corrida acontecesse em condições adversas?
É da CBA, que não fiscaliza, não se importa e não cobra com rigor nada disso?
Temo que..... aliás, não temo, tenho quase que certeza que isso ficará sem nenhuma providência, assim como aconteceu com Rafael Sperafico, ao qual peço desculpas, pois em meu texto na época, mencionei que sua morte não seria em vão.
Ledo engano.
Parafraseando o FG, "enquanto isso, a CBA se preocupa apenas em contar o vil metal...."

Sandra Tarallo disse...

PARABÉNSSSSSS, vc escreveu tudo...
Sandra

ANDRE DE ITU disse...

VOCE ESTA COBERTO DE RAZÃO,IGOR.

Information! disse...

Na minha opiniao...
A pista sempre foi a msma, pra mim, o carro nao tras segurança.
E como diz o post a cima, so vai ter mudança(na pista) se alguem morrer na f1, pq la sim o cockpit é seguro se alguem morrer ai sim é problema da pista.