quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

VEM AÍ MAIS UM REGULAMENTO DE MERDA*

* Por Luiz Alberto Pandini

Acabo de ler no Tazio:

FIA sugere criação de uma "zona de ultrapassagem"

Pilotos teriam 600 metros na reta principal para usar asa móvel e fazer manobra

Publicado em 03/02/2011 - 08h06 Da Redação

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) pretende fazer alguns ajustes para garantir o sucesso total da asa traseira móvel, entre eles criar uma zona de ultrapassagem de 600 metros.

A inovação estreou nesta semana nos testes coletivos de Valência, mas ainda existe uma incerteza sobre sua eficiência na corrida. No entanto, de acordo com o site da revista inglesa "Autosport", a FIA teria informado as equipes de seus planos para as primeiras corridas: melhorar o espetáculo sem banalizar as ultrapassagens (grifo do blogueiro. E pergunta idem: que carajo eles querem, afinal?).

A ideia da zona de ultrapassagem - onde a asa traseira mostrará sua utilidade - consistiria dos 600 metros finais da reta principal dos circuitos. O piloto só poderia ativar a asa se estivesse a menos de um segundo do carro à frente na zona de frenagem da curva anterior à reta principal.

Para a entidade, os 600 metros é a distância ideal para garantir as ultrapassagens, mas também não será tão fácil. Algumas simulações sugerem que este espaço resultará em um diferencial de velocidade entre os carros na casa de 10 a 12 km/h.

Para facilitar categoria, fãs e jornalistas, linhas serão pintadas na pistas para marcar a zona de ultrapassagem. Seria assim: uma linha indicará o início da zona de ultrapassagem, enquanto duas linhas serão pintadas na curva que indicará o segundo de diferença. Isso também ajudará quando o cronômetro falhar.

Os primeiros testes serão realizados na próxima semana, em Jerez e o sistema deve ser avaliado nas quatro primeiras corridas: Austrália, Bahrein, Malásia e China. "As equipes estão mais ou menos preparadas tecnicamente para isso. É preciso um ajuste fino", afirmou Eric Boullier, chefe da Renault.


É tão surreal que eu custaria a acreditar, não fossem os antecedentes da FIA para criar regras estúpidas e desnecessárias. Esta, entretanto, bate o recorde: a FIA cria uma regra para facilitar ultrapassagens e, ao mesmo tempo, para limitá-las. Agora não basta mais ser mais rápido ou fazer o traçado X ou Y: o piloto vai ter também que saber direitinho se já passou da linha X ou Y para saber se pode fazer uma ultrapassagem usando a asa móvel - tudo isso sem contar o controle dos botões do volante e do acionamento da própria asa móvel. É ridículo demais.

Aguardem um festival de polêmicas e punições discutíveis por conta desta nova regra, caso ela realmente entre em vigor. Não duvido que esta praga se espalhe pelas categorias mundo afora.

A estupidez da FIA, que propõe regras como essa, e das equipes, que as aceitam, não tem limites. E ainda tem quem me pergunte por que é que eu acho o automobilismo de outrora muito mais instigante que o de hoje.

3 comentários:

ANDRE DE ITU disse...

alguem pode me responder onde vai ficar essa ``zona de ultrapassagem´´(600 metros de reta)no GP DE MÔNACO ???

Igor * disse...

essa é a fia, cada vez mais sem noção...

Marcos - Blog da GGOO disse...

desculpem gente, tenho que falar: VAI PRA PUTA QUE PARIU ESSA FIA E SUAS BESTIALIDADES!!
O que mais me intriga, é pq que as equipes e pilotos se sujeitam a pagar tantos micos. Sim, aceitar uma coisa dessa é pagar mico.
É pneu largo, é pneu fino, com sulco, sem sulco, pode asa, não pode asa, tira apêndice, põe asa móvel, depois não pode mais asa móvel, agora pode de novo, e etc, etc, etc.
E esse ano ainda tem a Pirelli inventando moda com a lista de cores pra cada pneu.
Como disse bem o autor, vai ser uma zona geral de punições e polêmicas.
Santo Deus, não permita uma barbaridade dessas!!
Pandini, sobre a F-1 antiga, já tô ficando até chato de tanto falar isso aqui, a geração internet, geração Schumacher, geração Alonso, não sabe, infelizmente, o que é F-1 de verdade.
E cada vez mais se esforçam pra que ele permaneça apenas em nossas lembranças.
Lamentável.